• Quinta-feira , 21 Setembro 2017

O perfil do comércio internacional português

 

O comércio internacional é cada vez mais importante para a economia, as empresas e as famílias portuguesa, quer pelo rendimento que gera, quer pelo acesso a bens necessários para a produção de outros, quer ainda pelo que permite em termos de bens disponíveis para consumo final.  «[N]os últimos cinco anos, as exportações e importações de bens e serviços registaram taxas de crescimento médias anuais de 4,2 e 2,8%, respetivamente. Em 2016, as exportações de bens e serviços tiveram um aumento de 2%, face ao ano anterior, e as importações cresceram 0,8%, tendo a taxa de cobertura alcançado 105,7%. O saldo da balança comercial de bens e serviços foi positivo entre 2012 e 2016, invertendo a tendência negativa registada anteriormente. […]

Como principal destino das exportações de bens permanece a UE (75,2% do total em 2016), seguida de África (4,3% para os PALOP e 4% para outros países), da América do Norte (5,5%), da Ásia (4,3%), Europa extra comunitária (3%) e América Central e do Sul (2,6%). De referir que a UE aumentou a respetiva quota face a 2015, a Ásia manteve a quota, enquanto a América do Norte, os PALOP, a América Central e do Sul reduziram as quotas. Os cinco maiores clientes de Portugal – Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e EUA – concentraram 62,3% do total exportado por Portugal em 2016. Relativamente aos principais mercados clientes destaca-se um reforço de quota por parte de Espanha, de França e do Reino Unido, enquanto a Alemanha e os EUA reduziram em relação a 2015.»

Ver aicep Portugal Global Portugal – Ficha País (Março 2017).

 

Related Posts

Leave A Comment